segunda-feira, 26 de abril de 2010

Memórias de uma mãe enclausurada

Oi gente


Tenho andado muito ausente, eu sei, mas as coisas não andam muito fáceis. Agora passo a maior parte de meus dias no quarto deitada lendo. Aliás, alguém aí tem livros para mandar emprestados? Só esta semana já li toda a série Crepúsculo (quer dizer... o Amanhecer vou terminar hoje) e hoje vou ter que começar a vasculhar as livrarias on-line para buscar mais diversão.

A parte física não é tão ruim. Ficar deitada é chato e provoca algumas dores no corpo, mas aí levanto, tomo um banho, desço para fazer um lanche e isso melhora. O pior é me perceber mais debilitada a cada dia e ver nos olhinhos da Helena que ela não entende direito o que acontece.

Nunca culpo a gravidez pois não quero que nutra sentimentos ruins com relação a suas irmãs, mas às vezes digo que mamãe não pode brincar porque está dodói. Me parte o coração o modo como ela chega devagarinho perto de mim e me beija perto do pescoço. Depois pergunta: "Passou?".

Acho que é o que mais machuca... ela não escolheu ter irmãs, né? Da minha parte coloco na cabeça que tenho que passar por isso para ficar com minhas filhinhas e isso me basta, mas quando olho para ela chorando que quer ficar comigo quando não aguento mais cuidar dela é muito triste.

Mas sei que vamos superar isso. Ela está tendo bastante atenção da tia e assim que puder coloco as gêmeas numa rotina que me dê algumas horinhas sozinha com ela. Vai ser gostoso de novo.

Um comentário:

carla disse...

Oi Renata, deve ser uma barra mesma passar por esse período e requer muiiita paciência. Eu tenho uma filhota de 2 anos e estou tentando mais uma e sei que não será fácil. Assim como vc não tenho família morando perto, pois moro em outra cidade, ainda bem que sua cunhada foi te auxiliar. Mas no final tudo dará certo e as filhas só trará felicidades para vcs. Bjs, Carla.